Tempo

17 ago

tempo_

Hoje,
é o tempo
que poderia ser,
mas não é!

Entretanto,
giram ponteiros,
velozes, certeiros,
e passam os números,
como vendaval
diante dos meus olhos.
Nuvens se vão
ligeiras no céu
carregando bichinhos de algodão
que se desfazem rapidamente
diante dos meus olhos.
Vão-se os sonhos
rumo ao horizonte
que batidos por ventos quentes
viram água cadentes.
E tudo o que espero agora
é somente
e eternamente
o amanhã.

No horizonte,
o firmamento esbarrando no chão
se esconde na penunbra vespertina.
Lembrarei entristecido
que em algum lugar te deixei
e já é tarde demais pra voltar…
pois anoiteceu!

 

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: